© 2017 Todos os direitos reservados. edjastos.com.br

Você sabia que aquela flacidez de glúteos ou interno de coxas ou "músculo do tchau" pode ser causada pela falta de cálcio.

18.06.2017

Bioortomolecular;Ortomolecular;Flacidez muscular;Cálcio;Tratamento de flacidez ;Estética ; Eletroterapia ; Radiofrequência;Aumento de performance

 

A Importância do cálcio na fisiologia muscular.

 

 

Cálcio; Ca

 

Cálcio x alimentação

 

Realizamos o aporte de Cálcio através da alimentação. Exemplos de alimentos com quantidades significativas de Cálcio  ;Feijão, iogurte, leite, queijos , vegetais.

 

 

Armazenamento

 

O cálcio é um mineral muito importante para múltiplas funções. No corpo humano, a maior parte dele (99%) está armazenada nos ossos e o restante está livre no sangue.

 

Funções do cálcio 

 

As suas ações vão desde o metabolismo intracelular até o crescimento de ossos, a coagulação sanguínea, a condução nervosa, as funções cardíacas e a contração muscular.

 

 A ausência de cálcio no organismo ou sua presença no lugar, no momento e em concentrações erradas, pode acarretar em disfunções.

 

 

 

Tipos de Fibras musculares

 

 
Existe três tipos de músculos no nosso corpo, estriado cardíaco (presente no coração e cujas contrações são responsáveis pelo bombeamento do sangue) ou o músculo liso (que está presente, por exemplo, no revestimento de vasos sanguíneos) e o músculo estriado esquelético.

 

 

 

Vamos aprofundar nossa discursão no músculo estriado esquelético que é o nosso interesse nesse artigo.

 

Os movimentos de nossos braços enquanto realizamos massagens, assim como das pernas de um ciclista, acontecem devido a contração muscular realizada por músculos esqueléticos. Os músculos esqueléticos são controlados por nossa vontade. Os movimentos musculares são constantemente controlados por nossa vontade, ou seja, realizamos a contração de forma voluntária. Estes músculos são também denominados estriados, por apresentarem estruturas repetitivas denominadas sarcômeros, compostos de filamentos de actina e miosina nos quais a contração muscular ocorre. Durante este processo, a presença do cálcio é essencial, mas antes de sabermos como ele é importante vamos entender o processo de contração muscular.

 

Entenda a contração muscular: 
 
No músculo estriado esquelético, a contração ocorre pela interação entre os dois filamentos de proteínas nos sarcômeros (actina e a miosina). A cabeça da miosina conduz os filamentos de actina, gerando a contração muscular. Em condições de relaxamento, ou seja, enquanto o músculo está em descanso, este ponto de conexão entre os filamentos está preenchido por uma terceira proteína a tropomiosina, que envolve filamentos de actina. Assim, para uma contração ocorrer, a tropomiosina deve liberar o ponto de ligação entre a actina e a miosina. A cabeça da miosina deve apresentar um movimento para atingir o filamento de actina, e realizar a “condução”. Resumindo: duas ações conjuntas são imprescindíveis  para suceder a contração muscular: a) movimentação da cabeça da miosina para impulcionar a actina; b) liberação deste ponto de ligação no filamento de actina, que está, em condições de relaxamento muscular, ocupado por tropomiosina. 

Para a movimentação da cabeça da miosina dar-se, é necessário hidrolisar ATP (adenosina trifosfato, uma molécula de transferência de energia da célula) geralmente ligada à miosina; esta hidrólise consiste na “quebra” de uma molécula de ATP em ADP (adenosina difosfato) e P (fosfato inorgânico; ATP -> ADP + P); Ciclos de “condução” da actina pela miosina consistem, portanto de: hidrólise de ATP e consequente movimentação da cabeça da miosina e ligação à actina, liberação de ADP e P na célula (cabeça da miosina permanece ligada à actina), ligação de uma nova molécula de ATP à miosina (que acarreta a mudança na cabeça da miosina para sua forma original; ou seja, distante do filamento de actina) e a liberação da ponte entre miosina e actina volta à condição original. 

 

 

 

Funções do Cálcio na contração Muscular

O cálcio fica armazenado em organelas das fibras musculares denominadas retículos sarcoplasmáticos e, para o movimento descrito acima ocorrer, lembremo-nos que o “ponto” (ou sítio) no filamento de actina, onde a cabeça da miosina irá se ligar durante a contração muscular, deve estar livre. No entanto, em condições normais, duas proteínas regulatórias, a troponina e a tropomiosina, bloqueiam este local de interação. A contração somente será possível caso íons de cálcio (Ca2+) sejam exportados dos retículos sarcoplasmáticos e façam uma ligação a troponina, sendo que esta movimenta os filamentos de tropomiosina, desbloqueando os sítios de ligação entre actina e miosina. 

Em condições de “repouso”, as concentrações de cálcio em uma célula muscular não contraída são controladas adequadamente (manutenção do retículo sarcoplasmático); do mesmo modo, no momento da contração muscular, a quantidade adequada de cálcio deve ser liberada para permitir, então, a interação entre actina e miosina.

 

 

 

Disfunções no mecanismo de contratação e relaxamento muscular

 

Nos casos de disfunções musculares, também denominadas miopatias, geralmente há desequilíbrio  na concentração de cálcio. 

Certas disfunções são de origem hereditárias e podem se revelar em momentos específicos. Um exemplo disso é a doença denominada Hipertermia Maligna e está relacionada com o controle da saída de íons Ca2+ do retículo sarcoplasmático (liberação para o citosol, onde estão localizados os sarcômeros) durante os ciclos de contração muscular. Uma mutação no gene que codifica (lembre-se da estrutura central: DNA -> RNA -> proteína) este receptor, o RyR, pode estimular uma liberação excessiva do íon, como reação ao uso de relaxantes musculares ou à aplicação de anestésicos, ou seja, se existe descontrole da concentração de cálcio e fica permanentemente alta no citoplasma da célula, a contração é constante e não há relaxamento (rigidez muscular é mantida). Um dos resultados é o aumento da temperatura corporal e pode ocorrer a mortalidade.

 

Outro exemplo é a mutação no genética  SERCA, que codifica outra proteína localizada na membrana do retículo sarcoplasmático (ATPase Ca2+), responsável pela remoção de íons Ca2+ antes e durante a contração muscular. Como resultado, a pessoa pode ter câimbras, enrijecimento muscular e dor. É importante lembrar que as origens  das câimbras podem não ser apenas genéticas; existem casos em que a ausência de sais minerais na alimentação, entre eles o cálcio, também pode causar câimbras .

 

 Íons de cálcio 

Os íons Ca2+ fazem parte da fisiologia muscular (actina, miosina, troponina, tropomiosina, receptores em sarcômeros, ). Essas funções acontecem  simultaneamente no  tecido muscular ,então exige-se a atuação sincronizada de todos os sarcômeros, receptores que, por sua vez, controlam a concentração de diversos íons (O cálcio é um desses íons ). No momento da contração muscular, um sinal químico (neurotransmissor denominado acetilcolina) chega através das células nervosas nas fibras musculares,( Nos músculos existem  receptores de acetilcolina. Este sinal “deflagra” quimicamente que a célula deve ativar canais de íons e o transporte de íons gera uma corrente elétrica; e não apenas uma, mas todas as células no tecido ativam os receptores dos retículos sarcoplasmáticos. As fibras musculares apresentam muitos sarcômeros (cada um com diversos filamentos de actina e miosina que irão interagir para realizar a contração muscular).

 

Observação as células são microscópicas, mas a movimentação  muscular acorre por meio da contração conjunta de todas as fibras, com suas células e seus sarcômeros. 

 

Importância do cálcio 

O cálcio é de suma importância na contração muscular e seu aporte inadequado seja a nível molecular ou energético, pode acarretar em danos muitas vezes irreparáveis no organismo.

 

Objetivo do cálcio para terapia bioortomolecular

 

A Terapia Bioortomolecular recomenda o uso do cálcio quelatado em gel no musculo com objetivo de equilibrar as funções eletrônicas e potencializar os resultados estéticos de combate a flacidez muscular e aumentar a performance de atletas.

 

Protocolo bioortomolecular de combate a flacidez múscular e aumento de performance

 

Protocolo Bioortomolecular para combate a flacidez muscular e aumento de performance: Aplicar antes das atividades físicas, massagens e eletroterapia : Cálcio ,potássio e Íon firme .

 

Como usar o protocolo bioortomolecular de combate a flacidez nos procedimentos estéticos .

 

É importante preparar a pele com água termal e Íon clean para aumentar a dissipação das cargas elétricas ,logo depois de limpar a pele  aplicar os minerais quelados dermacorpore. Passar um mineral de cada vez ,primeiro o cálcio ,depois o potássio e por ultimo massagear o íon firme.

Essa sequência é para ser realizada antes dos procedimentos de combate de flacidez de bumbum e outras regiões. Exemplos massagens modeladoras ,eletroterapia, radiofrequência ,vacuoterapia ,pump e outras modalidades de tratamentos estéticos. 

 

 

Como utilizar os benéficos do protocolo bioortomolecular para aumento da performance fisica  

 

Passar um mineral de cada vez ,primeiro o cálcio ,depois o potássio e por ultimo massagear o íon firme antes da atividade fisico.

O ideal é passar o protocolo acima com a pele limpa ,livre de cremes e outras substâncias. 

 

Para tirar suas duvidas assista a aula pratica 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhar no Facebook
Please reload